A psicologia é para tolos ou para todos?

Posso dizer que tenho sido invadida por uma vontade de partilhar um assunto sério. Não é um assunto novo, nem animado, não é um texto de dicas, é sim, um assunto sério, de saúde e utilidade pública!

Iniciei a minha prática enquanto psicóloga clínica pouco depois de me licenciar. Desde então, algumas das pessoas que recebia acabavam por revelar como tinha sido demorada a decisão de consultar um psicólogo ou como jamais teriam vindo "se não tivesse chegado a este estado...", ou "se não me sentisse pressionado por um familiar". Com alguma frequência, esses comentários eram explorados mais abertamente numa das sessões, pois não o fazer, poderia mesmo boicotar todo o processo de intervenção ou levar a um abandono precoce.

Hoje, passados quase 20 anos, continuo a ouvir comentários semelhantes e com alguma regularidade. Mesmo pessoas que aberta ou facilmente procuraram os serviço de psicologia, por vezes são povoadas por dúvidas, questões, medos... Será que sou fraco? Será que sou tolo? Mais alguém tem pensamentos destes? Se eu estou aqui é porque não sei tomar conta de mim sozinho, não deveria ser capaz de me auto ajudar?

Muito embora eu tenha a tendência de estar atenta às mudanças na sociedade e mesmo de valorizar os pequenos passos (sim, a profissão de psicólogo está hoje em dia mais divulgada, conhecida e defendia), também é verdade que continua a haver muito desconhecimento, preconceito, dúvidas e que ainda circula ora em alto som, ora na mais íntima das nossas conversas mentais, a frase batida "a psicologia é para os tolos!!". E isso faz com que muitas pessoas não usufruam de um acompanhamento que lhes poderá ser realmente útil ou que se sintam desconfortáveis em fazê-lo.

Então, hoje foi o dia em que escolhi falar sobre isso, contribuir para desenterrar este assunto, e dizer-vos aquilo que eu (e certamente milhares de tantos outros psicólogos e psicoterapeutas) acredito e verifico diariamente: as pessoas que procuram de livre vontade o apoio de um psicólogo estão, muito frequentemente, capazes de reconhecer de forma consciente a fase ou o processo difícil pelo qual estão a passar e estão altamente sensíveis à possibilidade de evoluírem, potenciarem os seus recursos e dispostas a fazerem algo para mudarem as suas vidas... para melhor! Durante a formação como psicoterapeuta, uma das ideia que me ficou de um conhecido terapeuta, Fritz Perls, foi a de que pedir apoio é uma valiosa forma de auto apoio!

Quero deixar claro que a psicologia não é para tolos mas sim para todos! Pessoas iguais a mim, iguais a si, à sua mãe, ao seu pai, ao seu irmão, à sua tia, ao seu vizinho, ao seu marido, à sua mulher, aos seus filhos, aos seus sobrinhos, ao seu chefe, ao seu colaborador, ao seu colega, ao seu amigo...

Que este espaço de partilhas possa contribuir eticamente para a missão de utilidade e saúde pública de melhorar o acesso e a confiança nos serviços de psicologia.